Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Life in Pink

Life in Pink

Pensámos que seria dramático. Dias a chorar, a pedir. Na realidade, pequena princesa portou - se lindamente.

Na consulta dos 3 anos, pouco antes de ela fazer 3 anos, a pediatra disse : ou conseguem agora, ou têm que minimizar o uso só para dormir e manter quando irmão nascer. Assentimos, eu a pensar minimizar o uso e que só o conseguiríamos pôr realmente em prática algum tempo depois do irmão nascer, e o papá com um plano maquiavélico na cabeça que não me revelou até ao dia. O dia foi, precisamente, um dia antes da princesa fazer 3 anos. E porquê ? Porque sempre que falávamos no abuso da chucha (nos últimos tempos tinha piorado, pequena princesa chegava a querer ir para casa em vez de brincar no parque, so para chuchar!) dizíamos que a partir dos 3 não usaria mais. Ora bem, o homem levou a coisa à letra. Aproveitou uma semana de férias e eis que pequena princesa deixou a chucha. Sem grandes dramas.

Com o biberon não foi tão rápido. Nas férias não usa, mas quando voltamos a casa, voltou a pedir o leitinho da manhã no biberon e nos demos. Até há umas semanas, em que aproveitamos mais uma vez uma semana fora de casa e, no regresso, o biberon acabou. Aproveitamos que a mãe deixou de se levantar para a ir buscar de manhã, e ela começou a beber leitinho de pacote. Os pacotes acabaram, e ela começou a comer iogurtes, a beber leite com cereais, a pedir sempre pequenos almoços diferentes. Sem grande drama, de vez em quando ainda se lembra do biberon, e nós dizemos-lhe que ela está uma crescida e as meninas crescidas não usam.

Por vezes, nos somos os entraves ao desenvolvimento dos miúdos. E este nos aplicar-se bem mais a mim que ao papá da princesa. Ainda bem que nos equilibramos neste aspeto ❤️ e ainda bem que, das poucas vezes em que me dá o tilt (que a paciência acaba, ela é grande, mas tb há momentos difíceis), ele chega-se à frente com uma calma que não é muito normal nele, e que mais uma vez equilibra a situação. É nestas pequenas coisas que sabemos que estamos muito bem um com o outro, que nos equilibramos, completamos.

Pequena princesa está uma crescida! E gira que se farta, mas isso já sabiam não é? 😊

E eis que ao quarto dia, papá fofinho consegue deixar pequena princesa sem choro! Não sabemos o que se passou depois, mas ficou no recreio, voltou atrás para dar abracinho e beijinho (nunca sai de casa sem dar abracinho e beijinho a quem fica, caso contrário é todo um drama e lágrimas porque não se despediu propriamente) e lá foi à vida dela. Ao final do dia tem chegado bem disposta, o que acalma o coração destes pais (mais da mãe, que o do pai é de outra fibra 😋 a lamechas sou mesmo eu ).

Ontem foi dia de ginástica e parece que foi muito divertido, com arcos e bolas. Esperamos que esta escola tenha sido uma boa aposta! É algo que só sabe temos daqui a uns meses, mas queremos sempre acreditar que estamos a conseguir fazer o melhor pelos nossos bebés. A escolha das escolas é, nos dias de hoje, um desafio. Há que juntar vários fatores - localização, custo, método de ensino, conhecer educadores e ambiente e, acreditar que no final fizemos a escolha acertada.

A princesa está gira que se farta, uma crescida! 

Dizem - me que a ansiedade é pior, que tenho que me manter calma, serena. Eu tento, mas estou deitada e tenho contracções de 10 em 10 minutos, por vezes menos, e nada consigo fazer para aumentar este tempo. Não há magnésio que me valha, nada. No meio disto, uma princesa a começar a escola nova, e com quem não brinco há semanas. Nada mais faço do que dias tranças de manhã e companhia a ver TV. Tentamos leitura, mas ela saltava para cima de mim, sem querer, era mais forte do que ela. São três anos e muita energia, como se quer.

As noites são o pior. Horas acordada, a tremer o momento que há - de chegar, esperemos daqui a umas semanas. Horas as voltas, com dores de costas terríveis, sem poder tomar nada. Horas em que sinto este bebé e isso me consola, por o saber bem. As noites são difíceis, mas os dias não melhoram muito. Passam lentos, enquanto observo o meu homem a tratar da princesa, do meu pequeno almoço, do almoço, da roupa, da loiça, a ir buscar a pequena e ir com ela ao parque, e pelo meio tenta trabalhar um pouco. Ao final do dia, banho, jantar, deitar princesa, trabalhar mais um pouco e acabou o dia. Uma vida de trabalho para ele, clausura para mim, que ainda assim manteremos com gosto enquanto pequeno baby se mantiver dentro da minha barriga. Tudo por ele. Para que cresça um pouco mais antes de nascer.

A ansiedade será a minha companheira até ao dia do nascimento do bebé, por menos que tente pensar nisso. Tento não ser dominada por ela, respiro fundo e afasto pensamentos menos bons. Mas contar contracções não ajuda. Os finais de dia são os piores. Contracções descontrolam sempre. E agora a noite. Boa noite. 

Pequena princesa teve ontem o regresso às aulas, numa escola nova. Maior, sem colegas da escola anterior na sala dela, de 24 meninos. Ficou a choramingar, dizem que passou bem o dia, quando o papá a foi buscar estava entretida a brincar no recreio. Já em casa, após ir ao parque com o papá, quisermos saber o que tinha achado. Diz que ainda não fez amigos, mas não adiantou grande coisa. Hoje de manhã não queria sair de casa, não queria ir para a escola, porque não gosta. Julgo que é um processo natural, apegamo-nos ao que conhecemos, e as crianças também. Vai correr bem e daqui a uns dias estará adaptada, mas não deixa de ser frustrante não poder acompanhar, não poder mimar, não poder ajudar nesta fase de mudança. Setembro será o meu mês de coração pequenino, por não poder proporcionar à princesa a atenção que merece e que lhe costumo dedicar, o mimo, tudo.

Esperamos que hoje chegue bem animada e com vontade de regressar. Está tão fofa a princesa. Tão crescida. Ontem ao jantar perguntava ao pai, quando ele arranjava uma fatia de abacaxi - porque é que esse abacaxi está desmanchado?? 😋

A nossa vida em família está um pouco caótica. Mãe passa o dia deitada, papá trata da casa, da princesa, da mãe. No meio de tudo isto, princesa começa amanhã na escola nova. Para já, entusiasmada com a ideia, mas vamos lá ver como corre. O meu coração está apertadinho em todos os sentidos! É tentar manter o príncipe dentro de mim (33 semanas, a ver se chegamos as 35!!), é a princesa a ir para escola nova e a mamã a não poder acompanhar. A escola é bem maior do que a creche onde tem estado, turma com 24 alunos, mista e com meninos dos 3 a 5 anos. Recreio para 6 turmas de 24 alunos cada. Medo! A minha princesa vai crescer, claro, há - de correr tudo bem, mas apetece imenso mantê-la numa redomazinha, protegida, feliz 💓

Amanhã relatamos como correu o primeiro dia, mas o mais acertado será um balanço no final da semana. Esperemos que o pequeno bebé ainda esteja dentro de mim e que seja um grande balanço 😊

Pág. 2/2