Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Life in Pink

Life in Pink

E assim de repente, sete meses passaram. Sete meses de amor a 4, de crescimento conjunto, sete meses de uma família mais completa. Foram meses desafiantes, primeiro a mamã doente, quando a mamã recupera, pequeno príncipe começa a dormir mal. Depois aparece o covid 19 e a vida da uma nova volta. Aprendemos a viver 24h/24h todos juntos. Aprendemos a partilhar afetos, além de tarefas! Aprendemos que o amor tudo supera e juntos somos fortes. E o baby F? Espero wow perceba que é muito amado, apesar da atenção partilhada com a mana e tarefas domésticas imprescindíveis. Aos sete meses o baby f continua a ser o maior patuscao, super sorridente e paciente. Adora a irmã, mesmo que ela não lhe ligue nenhuma. Sempre a olhar para a porta para a ver aparecer de manhã. Bebé comilão, com clara preferência para papas e fruta em vez de sopa e carne (quem não?). O desafio deste bebé são mesmo os sonos. Acorda uma a duas vezes por noite. Mas as sestas são diabólicas. Fica para outro post, que este serve pasta referir que o bebé é o máximo. Já se senta, tem coversinhas e faz imensos trejeitos com a boca. Hoje a almoçar, um clássico, começar a 'assobiar' com a comida na boca. Voou para todos os lados, mas já sabemos que alimentar uma criança é como entrar num palco de guerra. Baby F é o melhor. O nosso amor. O nosso bebé patuscão, que nos mostra que o amor não se divide, antes multiplica.

É bem sabido que estou a adorar esta fase. Os três anos são maravilhosos, os miúdos descobrem e aprendem a uma velocidade vertiginosa, têm tiradas magníficas, são muito perspicazes. Pequena princesa está super crescida, muito gira e fofa. A motricidade fina ainda precisa de ser desenvolvida, cortar com tesoura, por exemplo, é para esquecer. Paciência para montar Legos, pintar dentro dos riscos dos desenhos também roça o zero. É muito impaciente e fica furiosa. Nesta quarentena estamos a tentar aprender a comer de faca e garfo e hoje na hora de almoço, depois de duas tentativas falhadas de levar a comida à boca, atirou os talheres e zangou - se. A capacidade de resolução destas situações tem que ser trabalhada. Voltemos à perspicácia. As crianças ouvem tudo, temos que ter imenso cuidado com o que dizemos ao pé delas. Há uns dias queria fazer maquilhagem e pedia colo à avó para chegar à prateleira do armário. Ao que lhe disse que não podia ser, que a avó tinha dor de costas. Saiu furiosa do WC e ouvimo-la dizer no quarto, enquanto ia buscar uma almofada para tentar trepar à prateleira, estão - me sempre a enganar 🙈 Há uns dias, estava a ler - lhe a história de final de dia enquanto o pai tentava adormecer o mano. Depois de um pedido de silêncio do pai, sempre que a voz da princesa dúvida de tom, lá lhe pedia para falar mais baixo, senão o pai zangava-se. Ao que ela responde, se o papá vier barafustar, dizes - lhe para não fazer isso, que eu sou só uma criança. E é assim. Em bom. Pequena princesa ❤️

É demasiado duro o título. Mas é o que sentimos. Vamos explicar porquê.

Sono do bebé é muito difícil, impossível adormecê-lo na caminha, não aceita ser pousado meio a dormir, não acalma se ficarmos ao lado dele, não consegue juntar ciclos de sono na sesta. Posto isto, decidimos recorrer a especialista. Tínhamos 3 em vista, Mafalda Navarro, Andreia Neves e Filipa Fernandes. Dada a experiência da Filipa, achámos que seria a pessoa certa para nos ajudar.

Tivemos a consulta, onde a nossa principal preocupação eram as sestas e a necessidade de capacitar o bebé para dormir sozinho, e ela refere que não podemos travar todas as lutas ao mesmo tempo, vamos focar-nos na noite. O resto da consulta foram banalidades, horarios, rotinas.. Quem tem um bebé que dorme mal e procura informação sobre o tema, já deve ter estes pontos mais que assentes. Sendo segundo bebé, e nós fãs de rotinas, essa parte estava mais que treinada e sabida. Portanto, banalidades, foco na noite. Fim da consulta, acaba com tem mbway, vou enviar lhe os meus dados para fazer o pagamento. Pediu ainda que relatasse como estava a correr e que se não víssemos resultados ao fim de uma semana, mudávamos de estrategia. 

Fim da consulta. Um pouco de desconsolo da minha parte, pois não senti que me tivessem sido facultadas estratégias para o que eu sentia que precisava. Logo de seguida, a mensagem com dados para pagamento, que prontamente paguei. Passou uma semana, em que registámos e enviámos mensagens sobre as noites do bebé. Passado uma semana, estava pior. Perante mensagens desesperadas, responde com um ligue me amanhã. Liguei. Uma vez. Duas. Nada. Decidi enviar mensagem a pedir que me contactasse ou indicasse um horário próprio para o efeito. Nada. Portanto, foi isto. Foi este o acompanhamento pelo qual pagámos. 

Percebo que não consiga ajudar, há casos mais desafiantes que outros. É chato, mas pode mesmo não ter sabido que conselho dar. O que não percebo, numa profissional que é bastante conhecida e aclamada, é o facto de nos ignorar. Ignorar o acompanhamento que referiu dar e que se pressupõe nesta área. É só triste. E pensar que poderia ter recorrido a outra profissional, que efetivamente o fosse 💔

 

 

O sono deste meu querido bebé é o meu calcanhar de Aquiles. O meu e o dele. É o bebé mais fofo, mais sorridente, mais patusco, mas no que toca ao sono vira diabinho. Sestas só no colo, com despertares violentos a cada 30 minutos, adormecer na cama nem pensar e as noites.. Bem, tem noites! Boas quando so acorda duas vezes, mas quando acorda 5 ou 6 vezes.

Desafios do sono podem ter por detrás uma componente biológica e uma componente comportamental. Eu acredito muito que é dele dormir menos, assim como a mana nunca dormiu muito de noite, e hoje com 3 anos e meio já não faz sesta e fica impecável. Há miúdos dorminhocos. Há miúdos desafiantes no que toca ao sono. Os meus são Desafiantes, mas nada que não se trabalhe!

Defendo e sempre defenderei muito colo e muito mimo nestes seres pequeninos. Mas quase chegados aos seis meses, acredito que está na altura de corrigir o sono deste bebé e de o ensinar a dormir sozinho.

Novidades daqui a uns dias 😊❤️

16 de Março. Seria o dia em que retornar ia ao trabalho e a licença parental tinha início. A licença parental teve início, está prestes a terminar, e trabalho nem vê-lo devido à pandemia covid-19. Se soubéssemos, não teríamos iniciado a AC aos 5 meses, mas como não adivinhamos.. E como correu a introdução? Pois bem, eu ainda tinha recordações menos positivas da introdução alimentar à princesa, mas pequeno príncipe conseguiu bater a irmã. Na primeira semana não passava sequer uma colher de sopa. Uma semana inteira. E eu dividia-me entre a culpa de ter iniciado ac cedo demais e o receio de ter um bebé com fome. Não havia sopa com batata doce, cenoura e afins que me valesse. Um mês passou e o bebé começa agora a comer a quantidade indicada pela pediatra. Assim que lhe dou a fruta é vê - lo todo agitado e tentar sorver tudo da colher, a barafustar enquanto apanho mais fruta para lhe dar. A sopa, come-a toda mas com um apoio. Há sempre um pouco de banana na ponta da colher, para ele não se arrepiar todo. Entre isso e umas brincadeirinha com as mãos, a alimentação complementar começa a ser menos desafiante. Na próxima semana começaremos as papas. Vamos fazer com leite materno e esperamos que seja um sucesso! 

O príncipe está um amor, sabiam? Parece um pequeno Buda, só apetece esborrachar com beijinhos. 

Aos 5 meses e meio o bebé começou a palrar. Mas a palrar a sério, com guinchinhos para se fazer ouvir. Adora palrar quando a mãe lhe tenta dar a sopa, palra quando não lhe dão atenção e quando dão e quer conversa.

Assim que começou esta nova aventura o que piorou? Pois é, o senhor sono 😊 já sabemos que aliado a novas descobertas vêm sempre noites mais agitadas. Mas é tão bom vê-los a crescer e a descobrir o mundo. E o bom que ele está, gorducho que só ele? ❤️

4 meses e uma semana. De repente, é quando digo de repente é literalmente de um dia para o outro, o bebé não quer estar na espreguiçadeira, quer estar sempre a ver tudo, faz imensos abdominais para se levantar. Ainda não se aguenta bem sentado, mas é a nova posição preferida. O meu bebé calminho com sonos péssimos está a ficar um diabrete (lindão), com sonos ainda piores. Estou sempre à espera que seja uma fase e que comece a dormir melhor, mas só piora!

O pimpolho está lindo, um crescido, interage imenso, aceita todos os colos desde que lhe dêem atenção. O sono, o sono senhores, será sempre a minha batalha com as minhas crianças. A primogénita está óptima nesse aspeto (mal seria, com 3 anos se ainda não dormisse bem!!). 

 

Pequena princesa está gira e fofa que só ela. As conversas que tem são maravilhosas, já brinca um pouco sozinha, é muito querida e sensível. Sensível. Como a mãe 😑 há dias em que ainda não quer ficar na escola, fica com lagriminha no canto do olho e, hoje, dia de aula aberta em que os pais participaram, ficou num pranto. Bem sei que passa, mimimi, mas fico de coração partido. Como no sono do irmão, preciso de estratégias para fortalecer a minha filha. Para conseguir lidar melhor com situações que a deixam desconfortável. Com a separação dos papás por algumas horas. 

Como eu gostava de não voltar a escrever sobre isto!! Até aos 3 meses pequeno príncipe dormia em todo o lado, adormecia razoavelmente e chegou a acordar ao 2 vezes por noite durante uns dias. Até que, a cerca de 2 semanas de fazer 4 meses decide ficar tonto (dizem que é bom, faz parte do desenvolvimento do cérebro e pode durar umas semanas), as sestas são feitas ao colo e é preciso embalar depois dos primeiros 30minutos para voltar a adormecer. Por várias vezes, cansada de esperneanço e choro, trago sua excelência para a sala, uma vez que parece não querer dormir, e o meu bebé bem disposto transtorma-se num rezingão. Lá voltamos para o quarto, pporque apesar da dificuldade em adormecer, ainda precisa de mais uns minutos. À noite.. Adormecer na caminha impensável, e despertares durante a noite, à mão cheia!! 5 a 6. De dar em doida. Deitar bebé sonolento, mas acordado, impossível que berra. Deixar bebé na cama é tentar acalmar, o choro escala tanto que depois demoramos uma eternidade a acalma - lo. Chucha rejeita. Doudou ainda não liga. Estratégias são muito bem vindas. Se dormir as horas que precisa fica meio bem disposto e tento assegurar que isso aconteça, mas não o estou a ensinar a acalmar e isso deixa - me muito frustrada. 

Aos 3 meses e 20 dias, a primeira gargalhada. Tão boa ❤️ só quem passa sabe o bom que é ouvir o bebé a gargalhar. Com uma brincadeira normal, umas coceguinhas e pumbas, lá estava ela 😊

Este príncipe faz - me questionar todas as escolhas dos últimos tempos, é desafiante até mais não, tem o pior dormir do mundo, chora terrores. Mas quando não está a dormir ou a chorar para dormir.. Está a sorrir, com o rosto todo, com os olhos. Um sorriso completo que nos enche a alma. Que me faz acreditar que estamos no caminho certo. Que nos vem completar, fazer crescer. Vem, sem dúvida, desafiar a irmã e a nossa capacidade de gerir a atenção.

Bebés bons ❤️