Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Life in Pink

Life in Pink

Já foi há uns dias que o pequeno baby F. Completou 3 mesinhos, mas entretanto a mana foi apanhada por uma bronquiolite e passamos uma semana todos fechados em casa. Pequena e princesa, que já é crescida, tirando o dia pior da doença (em que dormiu 4h de sesta), decidiu que é crescida e sesta é para bebés. O mais novo decidiu que sesta é ao colo. Tempo é algo que escasseia cá em casa com estas logísticas!

Pequena princesa ainda gosta muito de companhia para brincar, e com a mãe enclausurada no quarto a assegurar horas de sesta do mano, o papá chegou - se à frente é brindou. Muito. Brincou às princesas, aos Legos, aos puzzles. Um amor ver os dois a brincar tão satisfeitos 😍

Então e este pequeno príncipe, que enquanto escrevo dorme ao colo? Pois é, dos 2 para os 3 meses deu-se um grande desenvolvimento - se dormia em todo o lado, a qualquer hora, começou a ficar com horários mais regulares e a dormir só ao colo. Assim que é colocado no berço, chora 😩 posto isto, a mãe assegura que ele dorme as horinhas dele, mas depois mal consegue fazer o que seja em casa e a atenção para a primogénita anda reduzida 😒

Tirando os soninhos chatos, continua um bebé muito patusco e sorridente. Cresce a olhos vistos, já gosta do tapete de atividades e continua a adorar que a mana fale com ele. Ela continua a dar muitos mimos e abraços, quer pegar-lhe e nunca sai de casa sem se despedir com beijinho e abraço, ao mano e à mãe.

Uns amores estes pequeninos. 

É só uma coisa maravilhosa! Quanto ao pequeno baby F. Está a deixar nos loucos com as birras de sono e, a acordar de hora a hora durante a noite. Socorro!! Cérebro de 3 meses é completamente um mundo por desbravar para mim. Já o da princesa, com quase 3 anos e meio, é delicioso!! Dizemos lhe muitas vezes que o peixe, a carne e os ovos são muito importantes para o cérebro, para aprendermos coisas novas, pois estão repletos de proteína. Vai daí, um dia estava o pai a dizer uma série de disparates e pequena princesa diz, mãee o pai não comeu o peixe 😂

Está mais calma, com menos birras, mas estamos de férias e tem tido bastante atenção, pode ser por isso. Esperemos que continue, com o regresso à rotina, a partir de amanhã.

Tem dormido até as 9 da manhã, vai custar acorda-la amanhã 😩

Cansados mas felizes, é o estado desta família ❤️

No caso corrente, o pré escolar. Pequena princesa nunca foi menina de pedir para ir para a escola. Na maioria dos dias, os contrariada, mas acabava por ficar sem grande drama. Fases houve em que ficava aos berros e eu 💔.

Agora numa nova escola, com espaço exterior e muitas atividades, esperávamos que começasse a gostar um pouco mais. Primeiro foi a adaptação e uns dias a chorar. Acalmou, nasceu o irmão pelo meio e pequena princesa começou a dizer que não queria ir à escola. Não há um dia em que não diga que quer ficar em casa. De manhã pergunta logo - hoje é dia de escola? Se a resposta for positiva, invariavelmente responde, não quero. E é isto. Perguntamo nos se será a escola certa. Se será a princesa que prefere sempre ficar em casa. É tímida, protege-se muito com a educadora e a auxiliar. Gostava muito que a minha filha me pedisse para ir para a escola. Feliz. Sempre feliz. Porque o meu desejo último, é que seja feliz. 

No primeiro dia do ano aproveitamos o bom tempo e rumamos à praia. Antes, almoçámos um belo peixinho grelhado. Pequena princesa, com poucas horas de sono e sem sesta (têm sido assim os dias de férias, sem sesta e sem recuperar as horas de sono em falta durante a noite) decidiu que queria pizza. A rapunzel ajudou a wire lhe conseguisse dar sopa, peixe e Brócolo. Para a mousse de chocolate não foi necessário ajuda. Após o almoço fomos para a praia e as saudades que a princesa já tinha!! Correu, mãos na areia, na água, brincou, estava feliz. Lagartamos todos um pouco e baby F. durmiu 4 h seguidas! Caminho de regresso a casa com pequena princesa a dormir e pequeno baby altamente desperto 😊. Foi um bom dia. Esperemos que  seja um grande ano!! 

Acalmaram um pouco, mas não desapareceram. Quando é ligeiramente contrariada, quando lhe pedimos que faça algo que não quer (como vestir), quando tem sono e, o pior, quando não temos muita paciência. Eu sou a miss paciência cá de casa, mas por vezes tambem esgota. Felizmente são poucas. As birras escalam imenso quando o progenitor não tem a calma necessária para lidar com elas. Se houver sono ha mistura, é a receita para o desastre. Ultimamente tem havido castigos, como privar de doces ou TV. Vão funcionando, mas não devia ser assim. É uma fase e vai melhorar. Coisas boas, tudo o resto 😊 a princesa está linda e maravilhosa, com vontade de empregar todas as palavras novas que conhece (por vezes resulta em risota geral). Com vontade de conhecer mais e mais, de ver neve. É um amor, da me a mão quando faço tratamentos, para não me doer. Abraça me quando percebe que estou triste e diz para não ficar assim (não costuma acontecer muito, mas 2019 foi um ano difícil e acabou comigo a estilhaçar uma taça de doce no meio da cozinha.. Com dois pequenos para deitar, com o ano desafiante que tivemos, foi só a cereja no topo do bolo). Pequena princesa muito empatica. Uma fofura. 

Enquanto dormes ao meu colo, olho para o teu rosto e quero parar o tempo, gravar na memória esta imagem, o teu ar angelical a fazer um soninho descansado. Como a mana, adormecer na cama é um sonho dos papás. Adoras adormecer no carrinho de passeio e também adormeces ao colo, não sem antes chorares um pouco em protesto. Depois dormes e dormes. Uma hora, duas, três se for preciso. E eu olho para ti, admiro o teu rosto maravilhoso, a paz que sentes quando estás acompanhado pelo pai ou pela mãe. Os sorrisos que fazes no processo. Os biquinhos. És o nosso bebé milagre. Mais um, e fazes nos tão felizes (até à mana, mesmo quando ela diz que não gosta deste bebé, para fazermos outro). 

As cólicas dos bebés são o pesadelo de qualquer pai. Há aqueles com sorte vimos filhos nunca sofrem deste mal. Depois há os outros, os que sofrem com os bebés durante as horas que eles passam a chorar, a encolher pernocas, com a cara muito vermelha. As cólicas são uma treta. Passam por volta dos 3 meses e os bebes não se lembrarão de nada. O problema é o seguinte - vivemos no agora, e agora o bebé tem um mês. Chora, grita, irrita-se sem saber porquê e nós sabemos que vai passar, mas isto não ajuda a passar as horas de choro, em que os embalamos, tentamos aliviar o sofrimento, damos todo o carinho que conseguimos.

As cólicas são uma treta, vão passar, mas agora doem, magoam a barriga do bebé e atormentam a nossa alma. Óbvio que escrevo isto num dia em que o bebé chorou a tarde toda. Agora dorme, ao colo, e não o quero largar.

As cólicas magoam, os bebés e os papás. Infacol e biogaia já moram cá em casa. O tempo cura, essas gotinhas, a ver vamos se ajudam ou se ajudam somente a consciência da mãe. 

Um mês do bebé mais fofo. As primeiras semanas foram duras à noite, durante o dia o bebé foi super tranquilo. À noite mamar de 3/3 horas foi desafiante, principalmente quando ele começou a diminuir o espaçamento entre mamadas. Apareceram as cólicas e começaram a estragar o meu bebé calminho. Ainda assim, o máximo de choro diário deve ter rondado as 2h/3h.

Com um mês, começa a ficar mais tempo acordado durante o dia e quer colo, passeio, conversa. Basicamente, não quer estar deitado, boa sorte mãe para arrumares o que quer que seja. 

A mana mais fofa, depois de uns primeiros dias repletos de birras, está mais calma, mas ainda com algumas birrinhas tontas. E arrumar brinquedos? Uma luta constante. Desistiu de comer sozinha. Quer sempre ajuda. E se a mãe ajuda, com o pai a conversa é outra. O braço de ferro entre parto e filha é constante e desgastante para quem anda com privação de sono. 

A mãe atravessa o pos parto mais ridículo da história. Um mês depois, continua com uma ferida gigante na barriga, idas a urgências e hospitais são o pão nosso de cada dia (pelo menos 3 X por semana). Se adicionarmos as consultas dos pequenos, sinto que a minha vida é passada em hospitais. Sinto - me impotente, doente, com dificuldade em gerir tantos e tão contraditorios sentimentos dentro de mim. 

Quero amar, cuidar, estudar feliz e transmitir felicidade. Sinto me preocupada, com receio pela minha saúde, pela educação e mimos dos meus bebés. Quero ficar bem, sem buracos e inchaços em mim. Quero poder pegar nos 15kgs da minha bebe crescida. Quero pegar no mais novo e passá-lo sem peso na consciência por poder estar a fazer mal a mim própria. Quero voltar a ser eu. 

Os meus bebés são lindos e enchem me o coração. Que sejam felizes e saudáveis, e tenham sempre muito amor e mimo 

 

Amanhã o princepezinho faz duas semanas. Duas semaninhas de muito amor e carinho, duas semaninhas de noites a dormir aos bochechos, de um bebé bom que come e dorme. Que chora um pouco com gases, mas no geral é um patusquinho. Duas semanas de manos, em que a princesa mostra que precisa muito de atenção, chama muito pela pai e faz as suas birrinhas. Põe os seus bebés a mamar e a arrotar. Olha para as maminhas da mãe e quer experimentar. Estrafega o mano com mimos.

E a recuperação pós parto? Uma porcaria. Duas semanas de cama, com parte da sutura da cesariana ainda aberta. Troca de penso de 2/2 dias e a ferida não fecha. Duas semanas de cama que mais parecem um mês. Uma imensidão de sonhos e projetos, de desejos, tudo a ser constantemente adiado. Tudo para quando me conseguir mexer, e esse dia teima em não chegar. Há que respirar, ter calma, ver mais longe, mas não consigo. Estou há tanto tempo em repouso, que já não estou a gerir bem a situação. Eu aguento meses de repouso na gravidez por um bem maior, e aguentarem agora para ficar bem, mas não é a mesma coisa. Há uma princesa para mimar e tudo o que faço é cama, cama, cama. Cansada. Olho para o príncipe e acalmo, está tudo bem, ele está lindo e espero a crescer bem (amanhã é dia de pesagem e estamos expectantes, também é dia de troca de penso e estou aterrada). 

Pequena princesa foi conhecer o mano à maternidade logo após o nascimento (1dia depois). A reacção da princesa foi amorosa, desfez-se em sorrisos, queria tocar, mexer, dar beijinhos, 'o meu mano', 'o mano mexe'.

E em casa como tem sido? Eu continuo limitada e acredito que isso não ajuda a mais esta adaptação. Acredito que daqui a um mês tudo será melhor. Ainda assim, pequena princesa tem-se portado bem. Faz mais birras que o normal, quer o pai para tudo, fora isso, vai fazendo a sua vida normal sem ligar muito ao mano. De vez em quando quer estrafega-lo de beijinhos e miminhos, o que é um perigo pois não tem noção da força dela perante um bebé indefeso.

As birras são chatinhas, muito choro, mas dá-se a volta! Esta é só a fase inicial, quando ele mexer e lhe for roubar brinquedos será uma nova aventura!

Tentamos envolve - la em algumas rotinas do mano, foi connosco à pediatra, ajuda a trocar a fralda (acha ela!), pega-lhe com ajuda. Brinca com os peluches dele 😂

Esperávamos mais um desafio nesta nova adaptação e talvez ainda esteja para vir, mas para já não está nada dramático! Afinal, a princesa é um amor, gira que se farta 😁