Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Life in Pink

Life in Pink

O parto não foi difícil. Houve um período de três horas agonizantes, mas o que são três horas na vida de uma pessoa!? O parto foi induzido as 19 e por volta das 4h20 chamei a enfermeira, porque já não aguentava as dores e achava que na precisava de as aguentar. Se a medicina evoluiu ao ponto de uma pessoa poder evitar determinadas situações, esta era uma delas. A enfermeira considera que trabalho de parto ainda está em fase latente, muito inicial, e tendo em conta o tempo que as induções demoram, dei uma medicação que nada fez. Passado meia hora peço ao namorado para chamar a enfermeira, porque as dores não melhoraram nada. Lá veio ela, com a lenga lenga de que a medicação demorava cerca de 30m a fazer efeito. Esperei mais uma hora. Chamei a enfermeira novamente. Namoradinho ia ajudando com massagens, a lembrar-me para respirar quando só me apetecia berrar e Contrair todo o corpo. Um pouco antes das 7 da manhã vem a enfermeira com médicos e anestesista a perguntar se podiam fazer algo, pois eu estava muito queixosa (pudera, sentia-me a morrer por dentro, com dores terríveis k n controlava por nada). Decidiram dar epidural. Um pouco antes d darem a epidural a bolsa de águas rebenta e a dilatação está completa. A epidural, que normalmente acalma as dores enquanto a dilatação se faz... Pois. Serviu para não sentir qualquer dor durante o parto. A bebé nasceu num instante, mas eis senão que passam mais de uma hora a coser-me. Não me pareceu muito bem, mas pronto, era necessário, e se é procedimento normal, está tudo bem. Lá se foi a minha esperança de um parto sem pontos. hoje, passado uma semana, uma ida ao centro de saúde e uma urgência, continuo sem andar, com dores horriveis na zona dos pontos, parece que algo se soltou e vai demorar um pouco mais a cicatrizar. Até lá, o papa faz de papa e de mama. Faz de enfermeiro. De namorado. Não poderia ter ninguém melhor a meu lado para este caminho. E que caminho, não está a ser fácil, não estava preparada para um pós-parto tão terrífico, nunca coloquei a hipótese de poder ficar mal cosida, colada novamente ao sofá e a cama, e desta vez, sem poder tomar conta da minha pequenina linda. A preocupação com possíveis infecções não me deixa descansar. A preocupação com ela e com a perda de peso também m atormenta. Semana dificil. Nunca se está preparado para isto, por mais que se leia sobre o pos parto. E há ainda uma coisa pior, pouco se fala destes primeiros dias que podem ser terríveis, as hormonas completamente descontroladas, é tudo novidade, o medo d não agir corretamente com a bebé. Entramos na segunda semana. A ver vamos como corre! Espera-se o melhor, tanto para a mama como para a bebé (ferida a cicatrizar para a mais crescida e a pequenina a engordar).

Consulta de acompanhamento no hospital, quase a sair falo da comichão que sinto após o banho e, só para prevenir, fomos fazer umas análises com carácter urgente. Passado umas horas, cheia de vontade de voltar a casa, resultado chega. Colastase gravidica, temos que induzir o parto. Pânico, pânico, pânico. As 19h o parto foi induzido, as 8h14 a princesa nasceu! O parto em si não foi terrífico, o pos parto está a ser um horror. Mas isso fica para depois! Para já, princesa ML nasceu às 38semanas e 3 dias, 2,720kg, 46,5cm, é uma fofa, muito calminha e amorosa!

E por aqui chegámos à semana 38. No sábado contracções foram imensas, todo o dia, espaçamento de 7/8 minutos entre elas. Pensei por momentos que a hora tinha chegado, mas parece que não. Hoje está tudo mais calminho.

salvador-dali-dali-relogio-derretido.jpgSemana 37, dia 4. Eu sei que começo a tornar-me repetitiva, mas apoderou-se de mim um pânico terrível do parto e do pós-parto. Está tanto calor, uma pessoa sente-se menos bem com o corpo que transpira imenso, mole, inchado e, no pós-parto, a ter de lidar com pontos e afins. Parece-me que ainda vou penar muito neste Verão. E ainda não falámos da amamentação e potenciais desafios.

Estes dias correm com a sensação de que há um relógio tenebroso acima de mim a fazer TIC TAC TIC TAC, imprevisível, não sei quando irá parar. E quando parar - é correr para o hospital e esperar o melhor. Tenho para mim que vou chorar que nem uma desalmada o tempo todo. E o receio de que algo corra mal? De que a bebé precise de ventosa ou fórceps, de que o cordão umbilical se enrole à volta do pescocinho, de eu ter uma hemorragia maluca.. Breath, just breath.

ave.jpg

Gine fofinha após receber mensagem minha em desespero sobre o prurido pós-banho recomenda-me D'Aveia dermo óleo para o banho e, consulta de dermatologia. Muito céptica quanto à sua eficácia, lá me enfiei hoje de manhã no banho, sempre com aquele semblante de quem vai sofrer horrores daí a uns minutos. E não é que quase resultou? Quase, porque não foi perfeito, mas aliviou bastante! Acho que tenho um novo amigo, pena ser carote :) Mas a minha sanidade mental já estava em jogo, não me imaginava a sofrer isto o resto do verão (isto se associar esta alteração na pele ao facto de estar grávida, e no pós-parto o corpo deve continuar todo desequilibrado)!

E chegámos ao dia 3 da semana 37, a baby continua fofucha a dar chutinhos, mas já temos muita vontade de a conhecer. Continuo naquele misto de sentimentos - quando as contracções aumentam fico em pânico e deito-me o mais sossegada possível, para ver se acalmam, mas a vontade de a conhecer já começa a ser parecida com a do daddy to be. Só que eu, ao contrário dele, tenho todo um pânico do parto, coisa que não sei como vou gerir, mas lá terá de ser!

E porque estar de repouso não basta para me deixar um bocadinho chateada, eis senão que está de volta a mega urticária pós-banho. Tomar banho nos dias que correm (atenção, têm estado mais de 30º de temperatura máxima nestes dias) é tarefa hercúlea, com um pós banho, coisa para durar entre 30 a 45 minutos, de gritos. Por vezes literalmente, tal é a proporção que a comichão toma.

Facto do dia de hoje - depilação efectuada! Agora esperemos que a princesinha espere uns diazinhos, só para eu ficar um bocadinho menos sensível nesta área, vital para o seu nascimento :)

Baby ML continua a mexer bem, contracções a chatear, tudo na mesma nos dias que correm.

Ah, e já referi que tenho o melhor namoradinho do mundo? Que me deixa frutinha para todo o dia descascadinha em tupperwares, de fácil acesso, no frigorífico? Hum, ou então é o desejo de me manter na linha :p

 

grav.jpg

 A princesa vai mexendo, e eu tenho tendência a passar o dia todo calada, sem música nem TV. Por vezes começo a pensar, bolas, ela quer interacção, e portanto começo a ler para ela. Lemos de tudo, Dostoievski a revistas de férias (vulgo Caras, Flash, etc). Aproveito quando namoradinho chega para ele falar com a pipoca e fazermos duetos para ela. Não me parece que ela adore as nossas cantorias. Já ouvir a nossa voz ou vozes alheias, é uma alegria!

Ouço falar nisto e penso - até eu, que ainda tenho uma enorme barriga, já sinto saudades da mesma, mas no tempo em que ainda conseguia sair com ela à rua, apanhar ar, passear, ir ao café da esquina. Julgo que não padecerei desta saudade, pois estes últimos tempos, apesar de perfeitamente suportáveis, não são os mais simpáticos de se viver numa gravidez. Estou grávida e não posso mostrar a ninguém! Não posso partilhar a minha barriga linda, o meu ar radiante por ir ser mamã, por ter o melhor homem do meu lado. Saudades de estar grávida já tenho, saudades da minha barriguinha acho que vão ser substituídas pela bebé mais fofa das nossas vidas. (mas vou ter saudades de ouvir o namoradinho a chamar carinhosamente pela grávida dele!)

E não é que chegámos à semana 37? No meio de tantas contracções (tenho um pequeno caderninho com o registo diário das mesmas, é assustador!), a pipoquinha tem-se aguentado bem dentro de mim :) um amor de miúda, dá para ver desde já :p

 

Calor. Muito. Contracções pioraram um pouco, julgo que também devido ao calor. Baby ML continua em grande agitação. Adoramos ter o pai em casa, por mais aborrecido que seja estar 24/24h dentro de casa, sem grande mobilidade. No sábado aborreci-me um bocadinho, a TV não passava nada de jeito, o pc estava na posse do seu dono, e eu a tentar passar o tempo, deitada, sem vontade de ler o que quer que fosse. Entretanto comecei um novo livro e o resto do fim‑de‑semana passou a correr. Agora não desejo ardentemente que o amanhã solitário chegue. Mas lá terá de ser. Já tenho saudades da melhor companhia do mundo. Pouco conversadora, distraída. Mas com um coração imenso, que nos protege e ama. Sempre e com tanta garra.