Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Life in Pink

Life in Pink

Saio em modo corrida do trabalho para ir apanhar pequena princesa à creche. Assim que lá chego, pequena princesa começa a rir e a esticar os bracinhos, e eis senão que reparo naquela coisa gigante na cabeça dela. A auxiliar vem ter comigo e diz-me, a L hoje caiu. Já lhe pusemos arnica, muita, e ela está bem. Chorou muito, foi contra um ferro (!?!?!?!?!!?), mas está bem.

Lá pego na pequena princesa cheia de receios das sequelas do galo, e fomos para casa. Em jeito de resumo, a miúda está óptima, há-de cair muito mais vezes e eu hei-de ter sempre a mesma reacção. Primeiro vem o pânico, tipo arghhhhhh, é só um galo mesmo, por fora, sem implicações no desenvolvimento da baby? Depois continua a habitar em mim um receio, mascarado de calma, porque vá, não quero ser uma mãe dramática que hiperventila por tudo e por nada. Finalmente, a tentativa de aceitação que vai acontecer muito mais vezes e a vida continua, felizmente, porque faz parte do crescimento.

Não era muito mais fácil crescerem sem doenças e estes episódios que deixam uma pessoa com o coração nas mãos? Era muito mais saudável para todos!