Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Life in Pink

Life in Pink

Festa de Natal deve ser organizada pelos pais. (Whattttt?!!) Foi o que retive da primeira reunião, que durou 1h30. 1h30!

Princesa está óptima, adaptação correu lindamente, come muito bem, vai dormindo a sua sestinha e cumprindo as regras da educadora. Vai ter aulas de música e ginástica, ou qualquer coisa que se aproxime a isso.

Voltemos ao cerne da questão - festa de Natal organizada e ensaiada pelos pais? Não me considero uma pessoa muito conservadora, mas a festa de Natal não é o momento em que os pais se emocionam quando os seus pequenos fazem qualquer coisa no âmbito do espetáculo promovido pela escolinha? A ver vamos o que sai desta ideia genial.

 

Sozinha. Ufs, até que enfim :) Foram tempos difíceis, andar ali de rabo para o ar sempre a amparar possíveis quedas. A bem da verdade, ainda continuam, que ela ainda anda de modo muito relutante. É tão engraçado na rua - dá uns primeiros passos minorcas devagaríssimo até ganhar confiança e passar para modo corrida. Dá-lhe toda uma nova autonomia e é uma fase muito boa. Gosta de andar de mão dada, mas só com uma pessoa. A excepção verifica-se se a segunda pessoa for bebé/criança. Aí já vai com as duas mãos dadas. Já se senta a ver livrinhos (próprios para bebé, que os nossos são demasiado fáceis de rasgar), fala estranho, e faz birras simpáticas. Para já acho alguma piada às birras (ontem, por exemplo houve um pai que ao assistir ao desafio crescente de calçar a princesa para sair da creche - esticava o corpo todo e berrava para sair do colo, ofereceu-se para o fazer e correu lindamente) quando durarem mais do que cinco minutos parece-me que mudarei de opinião. É muito engraçado acompanhar a evolução dos bebés e tentar ajudá-los a crescer do melhor modo possível, dando-lhes autonomia e espaço para explorarem, sentirem, brincarem.

airproject.jpg

A princesa a voltar a esta vida. É, não tinha saudades. Ontem mal jantou e pouco depois teve tanta tosse que ficou vermelhusca, com dificuldade em respirar. Expectoração que nunca mais acaba, sem muco, tudo guardadinho dentro da pequena princesa. Vamos ver se os aerossóis ajudam a prevenir que o cenário desenvolva.

 

lazy.jpg

Depois de um fim-de-semana agitado (como eu gosto), hoje isto está difícil para arrancar. Acordei lindamente e até chegar ao trabalho correu tudo lindamente. Agora tenho sono. Muito cansaço em mim.

E novidades do fim-de-semana? A princesa já anda um bocadinho sozinha, mas ainda pede a mãozinha :) Dormiu as sestinhas todas a que tem direito e tem clara preferência pela sesta matinal (que por vezes ultrapassa as duas horas) do que a sesta a meio da tarde. Comeu bem (como não pdoeria deixar de ser), já gosta de brócolos e adora frango de churrasco (sai à sua mãezinha, não pode ser tudo pai, pai, pai - já referi que é igual ao pai?). Começa a perceber a diferença entre bolacha de arroz e bolacha que não sabe a papel. No fim-de-semana não deu, mas hoje atualizo o stock de bolacha caseira para bebé aqui de casa, senão a miúda inicia-se no caminho da perdição e ainda é muito pequenina para isso.

No sábado passeámos em Campo de Ourique e há uma feirinha, no terceiro sábado de cada mês AMOROSA. Coisas giras que se fartam, muitas para crianças, e baratinhas! Continuo a perder-me com colares para as meninas, com porta-chuchas e afins. Vale a pena. Muito. Ficámos a babar para uns produtos regionais (supostamente voltaríamos depois para comprar, que primeiro tínhamos que ir tratar do que precisávamos mesmo - sapatos para a baby - e quando voltámos estavam a fechar tudo:().

Ontem durante a banhoca pusemos um espelho perto dela e era vê-la a dizer adeus e olá para.. ela própria :) Com muitos sorrisos à mistura e alguma em voo para todo o lado.

Fim-de-semana bom com família.

Segunda-feira penosa.

14 Meses de Princesa. 14 Meses de um grande Amor. 14 Meses de nós enquanto papás. 14 maravilhosos meses (um pouco dramáticos lá pelo início, mas o que seria da vida sem desafios?).

E como está a princesa? Um amor! Só me custa deixá-la na creche, pois sei que não dormirá o que necessita (estou aqui com um grande dilema interno relativamente a esta questão, que creche não põe os miúdos a dormir quando eles claramente precisam?!).

Andar - drama, horror, tragédia - dá uns passinhos sozinha, mas ainda pede muito a mão. Dá-lhe segurança. Na escolinha anda sempre agarrada a grades, móveis, tudo o que encontre que a possa apoiar.

Falar - ca ca ca (não fazemos ideia do que significa), luz (ama de paixão ligar e desligar luzes, entra num edifício/casa diferente, olha logo para as luzes), um (tem um ano e quando lhe perguntamos ela responde), mama, papa e outras algaraviadas que não se percebem muito bem. Chora. Bastante mais do que era necessário, porque são birrinhas. Consigo achar tudo amoroso, ainda assim :p

Comer - come lindamente. Pequeno almoço 270 ml de leite (complementado muitas vezes com uma mini panqueca ou meia bolacha de arroz); Almoço - sopa, prato e fruta; Lanche - papa duas a três vezes por semana, iogurte, fruta e panqueca/pão/bolacha nos restantes dias; Jantar - sopa, prato e fruta. Na sopa come tudo, nunca rejeitou nenhuma. No prato principal, há ingredientes que não gosta isolados (grão, feijão, brócolo), mas come lindamente na sopa. Fruta - tudo o que é permitido nesta idade tem comido (abacate só em bolachas e panquecas); fruta mais recente introduzida - figo.

Brincar - continua sem grande capacidade de se entreter sozinha, mas vamos trabalhar nisso! É um bocadinho elétrica, como todas as crianças devem ser, e não brinca com o mesmo brinquedo mais do que 1/2 minutos, às vezes três e chega. Revistas e livros dos papás são para rasgar. Livrinhos de bebé, não liga grande coisa (falha minha que ainda não comprei nenhum que tenha música/sons). Tv costuma estar desligada, se tiver ligada felizmente não lhe liga.

Banho - É complicado. Até nem desgosta da água e de brincar com uns copinhos e outros brinquedos próprios para o efeito, agora estar ali sentada com os papás a esfregarem-na e ainda por cima a molharem-lhe a cabeça, isso é que não. Ontem, por exemplo, o banho correu lindamente. Requereu duas pessoas - uma para amparar a princesa que não aceitou sentar-se (tentámos várias vezes) e outra para a ir lavando. Pelo meio, ela ia brincando com os copinhos que enchia e esvaziava, atirava alguma água para cima de nós sem querer, mas a coordenação dos movimentos ainda não é a melhor. E estão vocês a pensar - pois, não controla a criança, nem consegue sentá-la. É, costumamos sentá-la e passamos ali uns três minutos a despachar um banho com a miúda aos berros. Em qualquer dos casos, o resultado final  é banho tomado, portanto, se puder ser com a princesa calminha, porque não?

Dormir - neste campo, há o sono do fim-de-semana e o sono da semana. Na creche não dormem de manhã, pelo que durante a semana a bebé dorme a sua "unisesta" por volta das 12h/12h30 até às 15h. Ela não dorme este tempo todo. Dizem-me que se levanta várias vezes, mas fica sossegadinha. Ao final da tarde está normalmente muito cansada e propensa a birras, o que percebo perfeitamente tendo em conta o que deveria dormir e não dorme. Vai para a cama entre as 20h/20h30 e acorda por volta das 7h. Ao fim-de-semana a hora de levantar e deitar são semelhantes - 7h30 - 20h30. Dorme duas sestas, cerca de 1h30/2h cada - uma de manhã e outra da parte da tarde.

Adora cães (deve gostar igualmente de todos os outros animais, mas menina da cidade que é, o que mais vê são cães), faz a cara mais fofa do mundo a pôr baton, até a cara de má é amorosa, adora ver pessoas na rua, bebés e crianças, faz festinhas, manda beijinhos, é um amor. O meu amor. E está gira que se farta!

 

 

Tablet. Uma loucura. Só quer ver músicas de bebé e dançar. Não sou apologista do uso constante destas tecnologias nos nossos bebés, acho bastante mais importante o contacto humano, a brincadeira com os papás, amigos, familiares. Ainda assim, a miúda adora aquilo. De manhã, depois do leite, vai logo directa ao tablet e quer música (desata a dançar sozinha). Ao final do dia, quando chegamos a casa (e não vai directa à cozinha), quer o tablet. Felizmente ainda a distraímos bem e começamos a brincar com outra coisa e ela esquece. Eu sou a moderada lá de casa e não me importo que ela perca uns 5 minutos de manhã e mais uns 5 da parte da tarde com isto, porque ela claramente gosta. O pai é mais autoritário neste caso e defende que o tablet deve ser usado em situações pontuais. We agree to disagree, como em tantos outros assuntos :) Desde que não ultrapasse o tempo indicado, não me chateia nada que ela se distraia um pouco com o tablet. TV, não liga nenhuma. Ainda. Não, não quero criar uma criança que prefira ficar em casa a ver TV do que sair e brincar na rua. Proibição total não me parece que faça sentido, a menos que me apontem estudos científicos, de fonte idónea, a provar que o uso de tablets por criança afecta o desenvolvimento deles.

Depois de uma folga na sexta-feira para ficar com os avós e um fim-de-semana cheio de atividades, o regresso à creche não correu mal de todo (ficou a esticar os bracinhos para o avô, que ficou à porta, quando a avó a levou até à educadora). Quando a fui buscar, para não variar, desatou num pranto, que passou num instante assim que foi colocada ao meu colo. Dizem que se portou muito bem, andou agarrada aos catres e às prateleiras. Comeu bem. Brincou. Sestinhas é que só fez a da tarde, pois na salinha de um ano não há sono da manhã. Qual foi o resultado disto? Ás 19h30 estava impossível, tamanha a birra de sono (19h30 senhores!! tão cedo). O banho, secar cabelo, colocar fralda pós banho (com ela em pé, que não deu de outra forma - já disse que ela parece uma enguiazinha?) - foram tarefas herculeanas. Felizmente jantou bem, sem grande fita - peixinho guisado com legumes e batata, sopa e fruta. A princesa tem clara preferência para pratos de carne, o peixe às vezes tem que ir misturado na sopa. Após um final de tarde agitado, em que ainda tentámos brincar um bocadinho, foi para a cama. A pipoca, que anadava a dormir lindamente até às 7/7h30, fez questão de acordar, chorar, mandar a chucha fora a quase todas as horas da noite. Estamos na dúvida se sentiu falta dos pais no quarto ou se tem dores de dentinhos a nascer que a incomodam (esta mania de tentar justificar tudo..julgo que foi mesmo a companhia dos papás que se foi e ela sentiu, a próxima noite há-de ser melhor).

A trocar a fralda, hoje de manhã (já depois do leite, porque se for antes é berreiro na certa): deito a princesa no trocador e ela começa buahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh. Páro de a despir, olho para ela e pergunto com o meu ar mais sério "então? o que se passa?" e a princesa fica a olha para mim e cala-se. Repetiu a cena mais umas três vezes. Vai ser fresquinha, vai vai!

A princesa está uma crescida. Como tal, está a fazer a adaptação à salinha seguinte na creche, aquela reservada a crianças dos 12 aos 24 meses (convém andar para passar para esta sala, daí só agora). Mudanças importantes nesta salinha: a sesta da manhã evapora-se (em casa esta sesta costuma durar cerca de 1h30/2h) e passa a dormir num catre; refeições em sala própria para o efeito e lanche reforçado.

O primeiro dia na salinha nova dizem que foi bom. Estava tão bem que ficou lá o dia todo (uma série de brinquedos novos para explorar). A adaptação ao catre, pois, isso já é outro assunto. Fez uma mini sesta com alguma dificuldade. Resultado: às 19h estava impossível! Banho quase todo a chorar - ela não adora o banho, mas com birra a coisa fica particularmente difícil, a pequena parece uma enguia a escorregar-nos das mãos. E lavar o cabelinho? É tarefa para nos deixar a nós a precisar de banho. Jantar - wowwww não quis comer quase nada. Felizmente a avó fez uma breve passagem lá por casa e andou a brincar com a pimpolha que arrebitou e acabou na cama só às 20h30.

Este início de Setembro está a ser desafiante aqui por casa. Primeiro o regresso à creche após um mês de ausência. Depois a passagem para a salinha de um ano. Acresce a isto uma quantidade louca de trabalho dos papás. No final tudo correrá bem :)

Tema melindroso sobre o qual nem falamos muito quando a princesa anda numa fase boa. Durante as férias acordou maioritariamente por volta das 7 da manhã. Na semana passada, primeira semana pós-férias, brindou-nos com soninhos enormes, a acordar perto das 8h. Andávamos encantados, oh se andávamos! Hoje acordou às 6 e pouco. Cheia de energia. Pronto, era só isto.