Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Life in Pink

Life in Pink

Não faço ideia de onde surgiu este termo, compreendo, não o adoro (mas sinceramente também não me ocorre nada muito melhor). Se fizermos uma pesquisa no google com essas mesmas palavras, aparecem uma série de links com conselhos e dicas para os ditos pais de primeira viagem. Por muito que percamos horas dos nossos dias a ler a imensidão de sugestões que há nesta área, nunca deixaremos de ser pais de primeira viagem, com todas as preocupações a ela associadas. A bebé está a mexer-se? Ontem mexeu mais.. Hoje parece pouco. Hospital? Urgência? Tenho alguma comichão, será que é infecção? Se calhar é da minha cabeça, vamos deixar passar mais algum tempo. Mas.. é tão perigoso, urgência? Dói-me a zona abdominal, mas é uma dor fraquinha, se calhar não é nada e daqui a pouco passa. Mas..... e se for alguma coisa e devamos agir já? Urgência?

Pois que isto são só algumas coisinhas que acredito passem pela cabeça de todos os pais de primeira viagem, acredito que na segunda, terceira, a descontracção reine, a urgência começa a ser relativa, a gravidez é mais serena. Ainda assim, não me posso queixar. A minha gravidez tem sido tão pacífica, que só desejo que continue assim até perto das 40 semanas. Desejo mesmo. Do fundo do coração.

allroads.jpg

Sarah Jessica Parker nunca foi uma das minhas actrizes preferidas. Ainda assim, reconheço-lhe o mérito de deixar milhares de mulheres agarradas à TV, primeiro com a série Sex and the City e depois com os filmes a que a série deu origem. Além de ter um corpo fantástico para os seus 51 anos.

Este filme - All Roads Lead to Rome - enquadrado no género comédia romântica é só fraco. Muito fraco. Desde os primeiros momentos que pensamos em desistir. Confesso que fiz uma pausa, vi uma série de House of Cards pelo meio, e só depois aqui regressei. E isso porque não me devo mexer muito, caso contrário até limpar qualquer coisa teria sido mais divertido. Nada. Não acrescenta nada ao mundo cinematográfico. SJP aparece como sempre, com um ar fofinho e aquele tom de voz de "estalo um dedo e todos fazem o que quero", roupas amorosas que desejamos que nos caiam como a ela, mas é só isso :)

Deixemo-nos de futilidades. Não preciso de pulseiras, túnicas, blusas, fatos de banho e tudo e tudo. Quero-te a ti, amor, e sol :) um livrinho e fico feliz. Nada melhor do que a tua companhia, sempre. E em dias como os de hoje, podermos ir para um lugar ao sol e perto do rio/mar, nada mais é preciso.

Já tinha ouvido histórias terríficas sobre as noites mal dormidas na gravidez, não por causa de insónias (o meu drama recorrente), mas por falta de posição, por dores de costas, de pernas, cãimbras, etc.

Até às 27 semanas, o meu problema principal eram as insónias, que me faziam arrastar para o trabalho, em modo zombie, durante dias a fio. Desde que fiquei em casa, esta situação melhorou. Mas eis senão que surge toda uma nova experiência - o terror da hora de ir para a cama. Não há almofadas entre as pernas, por baixo da barriga, whatever, que ajude. É um horror. São horas a fio acordada, às voltas. A posição em que queria estar? De barriga para baixo impossível, portanto, de barriga para cima, mas parece que faz mal à bebé, pelo que temos que adoptar uma posição em que nos deitamos de lado. As opções são - lado esquerdo ou lado direito. Horríveis ambas. Um terror. Estranhamente, por volta das 8h ou 9h consigo adormecer e ali fico até às 10h, 11h. O pobre do namoradinho é que se arrasta para o trabalho, desta feita ele em modo zombie, pois as mexidelas destas miúdas durante a noite não lhe permitem descansar o que merece. Mais uma vez, os papás a sofrer e ninguém se solidariza com eles (amor meu, mil desculpas, mas não consigo mesmo ficar quieta quando me doi meio corpo)

desejo_gravida.jpgA colecção de verão da Oysho deixa uma pessoa sempre com vontade de adquirir metade da loja. Desta vez, e como não me parece que me sentirei muito confortável em bikinis e fatos-de-banho, a roupa casual parece-me uma óptima opção. Outra loja que tem sempre colecções de babar, mas preços para o carotes, é a Lanidor. Por último, a pulseira que a Pandora criou especialmente para o Dia da Mãe. Esta marca é caríssima, mas tem um sucesso desmedido e por mais que não queria, acho imensa piada às pulseiras! Não, não me apetecem morangos, nem gelados ou camarões a horas estranhas. Mas estas coisinhas podiam vir cá para casa :) Sonhar nunca fez mal a ninguém!

 

Este é uma tema sobre o qual já tinha pensado várias vezes, mas ainda não tinha escrito nada. Hoje parece-me o dia ideal para o fazer, pois temo o que o namoradinho possa estar a sentir e que me parece ser comum a muitos homens.

Durante a gravidez a atenção está centrada na mulher grávida, nos cuidados e atenções que necessita. O homem vai sendo advertido para a necessidade de ajudar a companheira em casa, de acompanhamento nas consultas (mesmo quando o horário não é nada bom devido a compromissos laborais), das massagens que tem que fazer sempre que as costas doem, os pés incham, da paciência que tem que ter para o descontrolo emocional, etc etc. O bebé nasce e a atenção recai quase a 100% para ele. Onde está o pai no meio de todas estas alterações na vida familiar?

O pai constitui um dos pilares fundamentais da família, pelo que não deve ser renegado. Os seus receios, medos, angústias devem ser partilhados com a companheira. Devem ter um tempinho para namorar, para se mimarem mutuamente enquanto o bebé não nasce. Quando o bebé nascer, e aqui só posso falar teoricamente, espero conseguir desdobrar-me para dar ao namoradinho a atenção que ele sempre merece. Sei que não será fácil nos primeiros tempos, mas parece-me fundamental que ele se sinta amado e nunca colocado de lado. Todos gostamos de nos sentir amados, todos gostamos de ter atenção da família. <3

bolono.jpg

Ainda não nasceu e já está a ser mimada pelos melhores tios que poderíamos pedir. Os amigos são a família que escolhemos <3 e os nossos são maravilhosos! Obrigada tios pela prendinha que encheu o coração dos papás :)

papinhas.jpg

Algumas beterrabas no frigorífico, que adorava comer em saladas, mas com a gravidez enjoei um bocadinho, foram transformadas em sopa. Com agrião. Cor assustadora, sabor tão bom que hoje repeti a dose ;) Risoto com pedacinhos de bife, brócolo e salsicha, um bolinho de maçã e canela e um bacalhau com grão, que continua a fazer as delícias cá de casa.

Semana 27. Está tudo a correr belíssimamente :) a baby cada vez mais irrequieta no espaço que ainda tem, a mamã com alguma energia e boa disposição, as dores de costas diminuíram, as noites é que continuam chatinhas, mas não há perspectivas de melhoras neste aspecto.

Voltámos à carga em relação ao assunto creche - nova desilusão. Entrada em Fevereiro é equivalente a nenhuma garantia de que possa ter um lugar algures. Vamos esperar que tudo corra pelo melhor.

 

26 semanas, quatro dias. Dia de consulta. Baby M está gordinha, com barriguinha e peso para 28 semanas. O meu coração está apertadinho com receio que haja algum problema. Espero que seja só uma bebé grande.

Pág. 1/3